Supervisores aprendem mais sobre legislação de trabalho em altura

Os supervisores de projetos da Aprosoja participaram em dezembro de um workshop sobre gestão da segurança para trabalho em espaço confinado. Técnicos do Instituto Algodão Social (IAS) e representantes da Associação Brasileira da Indústria de Óleos Vegetais (Abiove) também participaram.

“Os supervisores já informam os produtores rurais participantes do Soja Plus sobre a NR 31, que trata do trabalho em área rural. Este treinamento é mais específico e vai agregar valor às informações prestadas”, diz o gerente de Planejamento da Aprosoja, Cid Sanches.

Durante o período de aula, os técnicos da Aprosoja aprenderam mais sobre a NR 33, que é a norma regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego que especifica o trabalho em espaços confinados. Também estudaram a NBR 14606, que trata de armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis e entrada em espaço confinados com em tanques subterrâneos e de superfície, e a NBR 14787, que prevê o treinamento para os trabalhados quanto aos riscos a que estão submetidos, a prevenção de acidentes e o procedimento adotado em situação de risco.

“Nas fazendas temos diversos espaços confinados, como silo, secador e moega, por exemplo. Por isso, temos que nos aprofundar sobre as normas regulamentadoras para dar a orientação correta. E os produtores rurais também precisam solicitar cursos para seus colaboradores”, explica Cristiane Sassagima, analista de projetos coordenadora do programa Soja Plus.

Ainda haverá o treinamento sobre a Norma Regulamentadora nº 35, que trata de trabalho em altura. Ela estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a execução, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente com esta atividade. O Ministério do Trabalho e Emprego considera trabalho em altura toda atividade executada acima de 2,00 m (dois metros) do nível inferior, onde haja risco de queda.