Releases

Texto
Compartilhar

Pesquisa e Gestão

Agricultores do Soja Plus poderão receber a mais pelo grão na Europa

Proposta foi feita pela Aprosoja, durante reunião com Fefac, Fediol e IDH

Marcos Guimarães/Ascom Aprosoja

07/05/2018

No domingo (06), a diretoria da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) se reuniu com representantes da Federação Europeia dos Fabricantes de Rações (Fefac), Federação Europeia de Óleo Vegetal e Proteínas (Fediol) e a Iniciativa para Comércio Sustentável (IDH) para fazer alinhamentos sobre as próximas estratégias do Memorando de Entendimento (MoU, na sigla em inglês). 
 
O MoU foi assinado com a União Europeia em janeiro de 2017, em Portugal, e reconheceu o programa de melhoria contínua em propriedades rurais de Mato Grosso, o Soja Plus, como o “passaporte” de uma soja produzida com sustentabilidade no Brasil. 
 
Pela Aprosoja, estavam presentes no encontro de domingo o presidente, Antonio Galvan; o vice-presidente oeste, Diogo Rutilli; o 2º vice-presidente sul, Jorge Giacomelli, o 2º vice-presidente norte e coordenador da Comissão de Pesquisa e Gestão, Gilberto Eberhardt, o diretor executivo, Wellington Andrade, e o diretor técnico Wanderlei Guerra.  A reunião começou com a apresentação de cada entidade sobre suas visões da produção, mercado de soja e novas estratégias para a parceria com a União Europeia. 
 
Dentre as novas estratégias propostas pela Aprosoja, está o pagamento no mercado europeu de valor adicional ao agricultor pela soja produzida dentro das propriedades participantes do Soja Plus, a possibilidade de emissão de um selo Soja Plus pela própria associação, atestando as adequações das propriedades participantes do programa, e também um novo formato na classificação dos grãos. 
 
“Sabemos que na Europa há consumidores e alguns grandes varejistas já dispostos a pagar um valor adicional por essa soja produzida com sustentabilidade. E, nesse contexto, o Soja Plus se encaixa como uma ferramenta para acesso a esses consumidores e, consequentemente, com um valor agregado aos nossos produtores”, explica Antonio Galvan. 
 
Sobre classificação de grãos, o presidente da Aprosoja afirma que precisa haver modificações. “Entendemos que um novo formato deve ser implementado, por meio de avaliação de teor de proteína e óleo, ao invés de qualidade física do grão. Por isso estamos iniciando essa conversa”, completa. 
 
Programação – A programação de reuniões com os representantes da União Europeia continua hoje. Nesta segunda-feira (07), o Comitê Diretor do MoU se reunirá para avaliar as ações em andamento e as que foram feitas até o momento, bem como definir os próximos passos. Hoje, representantes da Associação Brasileira de Indústria de Óleos Vegetais (Abiove) estarão presentes. 
 
Outra agenda para esta segunda-feira é o alinhamento da Comunicação. O grupo definirá os temas chaves para os membros do MoU. 
 
Na terça-feira (08), a agenda continua, porém, voltada para uma discussão mais técnica. Dentre os temas, estarão o projeto de co-funding, que é o recurso que o IDH tem aportado para a Aprosoja com foco no Soja Plus; o prêmio Soja Plus, proposto pela Aprosoja; modelos da cadeia de suprimentos e conceitos de áreas de originação. 
 
A agenda termina na quarta-feira (09), com uma visita em uma propriedade rural, em Campo Verde, que aderiu ao Soja Plus. Os representantes das federações europeias poderão constatar in loco como funciona o programa na prática.
 

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Veja Também