Releases

Texto
Compartilhar

Logística

Governo Federal garante a construção da FICO

Pará e Espírito Santo querem valores que serão destinados para primeira etapa da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico)

Ascom Aprosoja

13/07/2018

Os estados de Mato Grosso e Goiás garantiram, por meio do Governo Federal, que a primeira etapa da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO) comece. O projeto total da ferrovia liga Goiás até o estado de Rondônia, começando por Campinorte (GO), passando por Água Boa (MT), Lucas do Rio Verde (MT) e Vilhena (RO), e terminando em Porto Velho (RO). A primeira etapa é a que liga Campinorte a Água Boa. 
 
A garantia desta primeira parte é considerada uma vitória para o setor de infraestrutura e logística da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), já que os governos do Pará e do Espírito Santo exigiam que os recursos garantidos para FICO permanecessem em ambos os estados. 
 
“O recurso para a primeira etapa da FICO está vindo das prorrogações de concessões das ferrovias do Carajás (Pará e Maranhão) e da Vitória-Minas (Minas Gerais e Espírito Santo), que gerarão cerca de R$ 4 bilhões. Tanto o Pará quanto o Espírito Santo estavam requerendo o recurso, mas o Governo Federal, por meio do presidente Michel Temer, entendeu que é muito importante priorizar, neste momento, a FICO. De acordo com o Governo, outras soluções serão buscadas para o Pará e o Espírito Santo”, explica o diretor executivo do Movimento Pró-Logística e consultor da Aprosoja, Edeon Vaz Ferreira. 
 
Ainda, conforme dados do Movimento Pró-Logística, a FICO trará um alívio significativo para o escoamento de grãos do Vale do Araguaia, região ao Leste de Mato Grosso. “Com a ferrovia pronta, será possível o escoamento de parte da produção do Vale do Araguaia para Ferrovia Norte Sul, permitindo que sejam acessados os portos de Itaqui (MA), no Norte do país, e Santos, no Sudeste. A FICO também permitirá uma redução de custos com frete de aproximadamente 25%”, completa Ferreira.
 
Para o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi,  “o Vale dos Esquecidos, como se chamava a região, se tornará o Vale da Prosperidade”. Ainda de acordo com Maggi, “a FICO é uma ferrovia que nasceu em 2009, e com as forças políticas de Mato Grosso, fomos discutindo como chegar com a ferrovia no Estado. Todos nós trabalhamos para fazer a Fico que ficou adormecida de 2009 até agora, porque nunca houve recursos, não tinha um projeto para ser executado financeiramente, mas agora com os recursos garantidos, o sonho sairá do papel”.
 
O presidente da Aprosoja, Antonio Galvan, defende a construção do trecho de Campinorte a Água Boa como prioridade para a logística do Estado de Mato Grosso. Para Galvan “os recursos já estão garantidos para esta obra pelo governo federal, e outra solução deverá ser buscada para os estados do Pará e Espírito Santo. A obra é de vital importância não só para a região leste, que tem sua produção de grãos aumentando a cada ano, mas também, para o próprio Estado”.
 
Números - Segundo dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a produção de soja e milho na Região Leste de Mato Grosso na safra 2016/17 foi de 19,85 milhões de toneladas, o que representa 32% da produção do Estado. A produção desta região cresce a cada ano e até 2025 poderá alcançar 29 milhões de toneladas entre soja e milho. 
 
A FICO, segundo o Movimento Pró-Logística, terá uma capacidade inicial  de 10 milhões de toneladas neste primeiro trecho.
 
Andamento – Segundo o Governo Federal, o Estudo e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA-RIMA) e o Projeto Básico desta primeira etapa da FICO foram contratados pela Valec. O trecho conta com a licença prévia 493/2014. 
 
A expectativa é que o primeiro trecho da Ferrovia de Integração Centro-Oeste esteja pronto em 4 anos, em função do período para elaboração do projeto executivo e da licença de instalação.
 
 

 

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Veja Também