Manejo

Texto
Compartilhar

 

A agricultura tropical impõe desafios constantes para a produção de alimentos, devido à rápida resposta de insetos, doenças e plantas daninhas às intervenções agronômicas. No Brasil, as limitações da legislação acabam restringindo as ferramentas de combate fitossanitário, pois há poucas opções disponíveis no mercado, principalmente para o controle químico.

O uso frequente dos mesmos modos de ação dos químicos na defesa sanitária vegetal pode ocasionar resistência aos métodos de controle. O manejo incorreto, assim, pode ampliar os níveis de populações de pragas, doenças e ervas altamente resistentes, colocando em risco a sustentabilidade da produção e a cadeia produtiva.

Para orientar os associados, a Aprosoja realiza a campanha de informação chamada “Antirresistência” para disseminar medidas de controle cultura, como o Vazio Sanitário. O alerta aos produtores sobre a importância do manejo correto de antirresistência pode ser conferido aqui, com as dicas a seguir.

Durante o período proibitivo, de 15 de junho a 15 de setembro, elimine plantas vivas de soja da sua propriedade.

 

Identifique ervas e plantas invasoras e aplique herbicidas com diferentes modos de ação.

 

Se surgirem insetos na plantação, faça o manejo integrado de pragas (MIP) utilizando produtos específicos para cada alvo.

 

Para evitar doenças na lavoura, fique atento, faça monitoramento periódico e adote o Manejo Integrado de Doenças (MID) usando produtos com diferentes modos de ação. 

E, importante! Tenha sempre um bom agrônomo ao seu lado!

 

Para fazer dowload de conteúdos mais técnicos relacionados à resistência de fungicidas sistêmicos, clique abaixo:

Plantas e compostos químicos de origem vegetal para controle de nematóides

A resistência dos fungos de utilização de fungicidas sistêmicos